Mozzo/Brasil – Irmãos superam separação de 16 anos – Jornal da Cidade


Irmãos superam separação de 16 anos - Jornal da Cidade

la traduzione in italiano

Foram as condições financeiras e familiares que separaram quatro irmãos há 16 anos, nascidos em Piratininga (13 km de Bauru). O destino separou, mas uniu, com a ajuda da tecnologia e muito amor: Alan (antes Odair), Aline, Pedro e Adriano. Esse último promoveu o encontro e veio da Itália somente para ver os irmãos.

O advogado Gilberto Truijo, pai adotivo de Pedro Gilberto Balduino Ferreira Truijo, 21 anos, contou toda a história à reportagem, já que acompanhou o caso desde o início. “Eu acompanhava o caso que estava sendo tratado pelo promotor Júlio Cesar Palhares. Certa vez estávamos no Fórum e ele comentou que tinha sido destituído o pátrio poder dos quatro irmãos, ou seja, eles seriam encaminhados para orfanatos, porque a família não tinha condições de criá-los. O promotor disse que o Pedro estava disponível para adoção e, mesmo já tendo dois filhos biológicos, nós o adotamos”, contou.

Os anos se passaram em um orfanato de Piratininga. Alan Gustavo Floriano da Silva, 25 anos, e Aline Beatriz Floriano da Silva, 20 anos, foram adotados por uma família do núcleo Mary Dota e Adriano Cortinovis, 23 anos, seguiu para a Itália com seus pais adotivos.

Mesmo sem conseguir falar português corretamente, ele disse que se sentia infeliz, incompleto, na Itália. “Na Itália não era muito feliz, era incompleto. Sentia muita falta de meus irmãos. No ano passado conversei com o promotor e consegui contato com o meu irmão Pedro”, contou.

Em 2012, o promotor Júlio César Palhares avisou Gilberto que Adriano queria encontrar os irmãos, então eles trocaram e-mails e logo estavam em contato também por meio das redes sociais. “Sempre queríamos promover esse reencontro, mas tinha medo que a família da minha irmã Aline e do meu irmão Alan não quisesse”.

O encontro

Gilberto, mais uma vez, entra na história para intermediar o reencontro. Entrou em contato com a família de Alan e Aline. No dia 24 de maio Adriano chegou a Bauru. O encontro aconteceu no escritório de advocacia de Gilberto, sem festa, mas com muita emoção.

“Foi muito lindo, emocionante. Não fizemos festa, até porque o Adriano estava muito cansado. Comemoramos ali mesmo e depois fomos assistir a Virada Cultural, no Parque Vitória Régia. Eu sempre esperei reunir meus irmãos, e deu tudo certo”, disse Pedro.

A caçula Aline disse não se lembrar do momento da separação, já que tinha apenas 4 anos de idade. Mesmo morando em Bauru, ela, Alan e Pedro nunca tinham se encontrado antes.

“Eu era muito nova, não me lembro do momento da separação. Minha mãe sempre me disse a verdade, que eu era adotada. Desde os meus 18 anos que eu pergunto a ela sobre a minha família biológica. Agora tivemos essa oportunidade. Foi emocionante”.

Repercussão

A história dos quatro irmãos, que foram separados por obstáculos da vida em família, repercutiu também na imprensa italiana. O artigo “Adriano e i suoi fratelli Carramba, che rimpatrio. Da Mozzo al Brazile, dove fu adottato”, publicado em 31 de maio no jornal Corriere della Serra, conta brevemente a história dos quatro irmãos, hoje inseparáveis.

No Brasil desde o dia 24 de maio, Adriano Cortinovis não pensa em voltar a Bérgamo, na Itália, tão cedo. “Já tenho a dupla nacionalidade e agora estou tirando o passaporte brasileiro novamente. Penso em me instalar aqui ou em São Paulo. Quero montar um negócio próprio. Na Itália isso é muito caro e aqui fico perto dos meus irmãos”, finalizou Adriano.

viaIrmãos superam separação de 16 anos – Jornal da Cidade.